Atenção

Fechar

CBCA

CONSTRUÇÃO EM AÇO | Estatísticas

Produção de estrutura metálica tem queda de 10,8% em 2018

Nível é o mais baixo desde a 1ª edição da pesquisa (2011)

O Centro Brasileiro da Construção em Aço (CBCA) – entidade gerida pelo Instituto Aço Brasil - lançou as novas edições das pesquisas anuais feitas com fabricantes de estruturas em aço, de telhas de aço & steel deck e de perfis galvanizados para drywall e light steel frame. Os dados divulgados demonstram novamente que os mercados estudados apresentam grande potencial de crescimento e que enfrentaram em 2018 forte retração em seus números de produção – com exceção do mercado de perfis galvanizados - muito por conta da situação político-econômica do Brasil. A carga tributária foi um dos pontos mais mencionados pelas empresas pesquisadas quando perguntadas sobre as principais dificuldades para fomentar o uso de estruturas em aço no Brasil. A maioria acredita que, na comparação com sistemas moldados in loco, a estrutura metálica recebe maior incidência de tributação de ICMS.

O estudo feito com os fabricantes de estruturas em aço mostra que o setor apresentou queda de 10,8% na sua produção em 2018 na comparação com 2017, atingindo o nível mais baixo desde a primeira edição da pesquisa, em 2011. Destaca-se ainda que desde 2014 o setor vem sofrendo sucessivas quedas nesse número. Quando comparada a produção de 2014 (pico) com a de 2018, observa-se uma redução de mais de 50%. Somente em 2018 a pesquisa identificou a paralização das atividades de 17 empresas.

Ainda sobre a pesquisa "Cenário dos Fabricantes de Estruturas de Aço" - que está em sua 8ª edição - destaca-se negativamente a baixa utilização da capacidade produtiva, com o índice de ocupação dos maquinários em 2018 sendo o mais baixo desde 2011, com 33%. No entanto, a maioria das empresas entrevistadas (78%) acredita que a sua empresa terá crescimento nesse ano, com 25% delas acreditando num crescimento acima de 20%, por conta da expectativa de aumento na demanda e de novos projetos para 2019. Ao todo, foram contatadas 417 companhias, das quais 289 responderam, aumento considerável em relação à pesquisa anterior devido à inclusão de novas empresas fornecedoras do setor de energia. No total, elas faturaram cerca de R$ 4,53 bilhões em 2018 e possuem mais de 26 mil colaboradores, com as Regiões Sudeste e Sul concentrando quase 85% do total de fabricantes de estruturas em aço. Com relação à estrutura em aço por tipo de obra, as obras de energia representam 47% da produção e as obras industriais e comerciais quase 40%.

Em sua 7ª edição, a pesquisa "Cenário dos Fabricantes de Telhas de Aço & Steel Deck" também apresenta um setor com baixa utilização de sua capacidade instalada - 42% em 2018. Outro dado negativo ficou com os números da produção (419,3 mil toneladas), com queda de 9% no volume de produção de telhas de aço e de 37% no volume de produção de steel deck, na comparação 2018 x 2017. Na visão dos fabricantes, os principais problemas são o pouco capital de giro disponível e a necessidade de melhoria no setor comercial, além da concorrência com o valor do aço importado e/ou não qualificado. Ainda segundo as empresas participantes, para aumentar o uso de telhas de aço & steel deck no Brasil é fundamental que haja melhorias na tributação dos produtos da construção em aço. No total, 102 empresas - com faturamento estimado de R$ 2,74 bilhões de reais em 2018 – foram ouvidas. Apesar dos números negativos, mais de 70% dos fabricantes estão esperando um crescimento no mercado para 2019.

A pesquisa "Cenário dos Fabricantes de Perfis Galvanizados para Light Steel Frame e Drywall" voltou a apontar índices otimistas, reforçando a premissa de que novos sistemas surgem como solucionadores de problemas em tempos de crise. Em sua 6ª edição, a pesquisa aponta que cerca de 75% das empresas pesquisadas esperam crescimento em 2019. Tanto no setor de light steel frame como no de drywall observa-se um crescimento na produção no ano de 2018, com o light steel frame (esqueleto estrutural que suporta a edificação) com quase 4% e o drywall (sistema de vedação não estrutural) com quase 2%, em relação à produção de 2017. Considerando a capacidade produtiva existente de perfis para LSF e Drywall – 205.5 mil toneladas – todo o setor está preparado para atender a um crescimento da demanda, cenário similar aos setores analisados nas outras duas pesquisas. Destaca-se ainda que cerca de 50% dos perfis para light steel frame são destinadas às obras residenciais, com forte tendência de crescimento no uso de fachadas, pois as construtoras vêm buscando soluções de maior produtividade para este subsistema.

Os resultados obtidos nas pesquisas de 2019 servem para subsidiar o CBCA no direcionamento de suas ações, servindo como suporte para a promoção da construção industrializada em aço junto à sociedade, governo e mercado da construção civil, expondo a real importância e dimensão da construção em aço. O conteúdo completo das pesquisas, que contaram com o apoio da Associação Brasileira da Construção Metálica, do Instituto Nacional dos Distribuidores de Aço, do Instituto de Metais Não Ferrosos e da Associação Brasileira do Drywall está publicado no site do CBCA, na seção "Publicações".

Não é cadastrado?

Faça agora seu cadastro no site do CBCA e tenha acesso a conteúdos exclusivos e inscrições online. O cadastro no site do CBCA é gratuito, simples e rápido.

QUERO ME CADASTRAR

INDIQUE

Obrigado!
Sua indicação de conteúdo foi enviada com sucesso.