Atenção

Fechar

CBCA

Tradição preservada e renovada

09/01/2020 | Notícia | Revista Arquitetura & Aço

Intervenções metálicas transformam galpão dos anos 1930 na Fábrica de Gaiteiros, projeto de educação na arte das gaitas-ponto no Rio Grande do Sul

Do mezanino, áreas de fabricação das gaitas no térreo são visíveis por abertura da estrutura metálica conjugada com vidro

Um pavilhão de 1932 às margens do Rio Guaíba, na região metropolitana de Porto Alegre (RS), já havia abrigado diferentes manufaturas ao longo da sua história, de estaleiro a uma fábrica de farinha. Em 2014, tornou-se sede de um projeto inusitado, o da Fábrica de Gaiteiros, idealizado pelo músico gaúcho Renato Borghetti. Para assumir a nova atividade, o edifício passou por uma renovação que procurou, a um só tempo, manter as características originais e permitir os novos usos. A contribuição do aço foi fundamental no projeto.

A ideia de criar uma fábrica de gaitas-ponto e ensinar crianças e adolescentes a tocar o instrumento surgiu para Borghetti há cerca de 11 anos. Há mais ou menos sete anos, formou-se a primeira turma de jovens estudantes do instrumento. Atualmente, a iniciativa está presente em diferentes municípios gaúchos e catarinenses. Na fábrica, na cidade de Barra do Ribeiro, são produzidas todas as gaitas usadas nos cursos, conforme explica Emily Borghetti, filha de Renato e arquiteta que assina o projeto da Fábrica.

Segundo Emily, o prédio estava sem uso havia algum tempo, com sinais de deterioração. “Pintamos e tratamos as paredes externas, mas resolvemos não intervir no frontão. A ideia é que as pessoas percebam a ação do tempo no prédio”, afirma. Elementos da estrutura podem ser vistos pelos frequentadores do edifício, já que as paredes foram descascadas de modo a deixar aparentes os materiais empregados na construção. “Tudo está bruto para que se cumpra uma função didática”, analisa a arquiteta.

O frontão do galpão fabril dos anos 1930 foi mantido parcialmente sem restauro, marcando a passagem do tempo. A entrada contrasta com o espaço interno moderno e funcional, repleto de elementos em aço

As alterações no pavilhão tiveram o aço como principal elemento estruturante. “A cobertura tinha estrutura de madeira e estava muito comprometida. Demolimos e refizemos completamente, empregando estrutura e telhas em aço”, lembra o engenheiro Genaro Santos Rodrigues, responsável pela obra.

Segundo Rodrigues, as paredes do galpão são de alvenaria, compostas por tijolos antigos de grande dimensão e sem outros elementos estruturantes. A empresa que forneceu a estrutura metálica da cobertura, a Poolmak, aconselhou que se fizessem reforços para que as novas tesouras fossem instaladas sobre elas. “A construtora abriu coxins na alvenaria, com amarração em aço e concreto. A nova estrutura da cobertura foi fixada diretamente sobre os coxins”, esclarece Maykon Dalberto, gerente comercial da Poolmak.

Antiga estrutura da cobertura, em madeira, não pôde ser recuperada e foi substituída por tesouras metálicas. Uma grande janela, aberta no fundo do auditório do piso superior e estruturada em aço, dá vista para o lago Guaíba

Emily Borghetti lembra que a disposição das tesouras da cobertura, que cortavam significativamente o pé-direito do galpão, fez surgir a ideia de um mezanino, inteiramente executado em aço. Nele, foram instaladas uma área de exposição com a história do prédio e do projeto da Fábrica de Gaiteiros e, ao fundo, um auditório com 85 lugares, onde os alunos podem apresentar o que aprenderam no projeto.

No térreo, uma ala compreende os espaços para as diversas etapas de fabricação das gaitas e a outra abriga as salas de aula e uma biblioteca. Ao fundo, uma área de convivência faz a conexão com a margem do Guaíba. Todas as divisórias entre os espaços são igualmente estruturadas em metal, bem como uma grande janela instalada na face do prédio voltada ao lago. Segundo Dalberto, da Poolmak, a montagem de toda a parte metálica levou somente 30 dias. (E.C.L.)

Sobre a obra

Projeto arquitetônico: Emily Borghetti
Área construída:
877,33 m²
Aço empregado:
ASTM A36
Volume de aço:
4,7 t
Projeto estrutural:
Poolmak Estruturas Metálicas
Fornecimento da estrutura de aço:
Poolmak Estruturas Metálicas
Execução da obra:
Genaro Vladimir Santos Rodrigues
Local:
Barra do Ribeiro, RS
Conclusão da obra:
2014

Todas as Notícias

Confira também

Não é cadastrado?

Faça agora seu cadastro no site do CBCA e tenha acesso a conteúdos exclusivos e inscrições online. O cadastro no site do CBCA é gratuito, simples e rápido.

QUERO ME CADASTRAR

INDIQUE

Obrigado!
Sua indicação de conteúdo foi enviada com sucesso.