Atenção

Fechar

CBCA

Industria flexível

07/01/2020 | Notícia | Revista Arquitetura & Aço

Com o apoio de estruturas metálicas, retrofit em Porto Alegre cria escritórios modernos e amplos em área com pequeno edifício e galpão

A Thyssenkrupp é uma organização alemã que atua globalmente em diferentes negócios no setor industrial. Quando os arquitetos do estúdio Arquitetura Nacional assumiram a tarefa de criar os novos escritórios administrativos para a companhia, em Porto Alegre (RS), os objetivos eram muito claros.

Antes de tudo era necessário assegurar a um grande número de colaboradores conforto e praticidade. Também era desejável obter um visual industrial e sóbrio, que comunicasse valores defendidos pela multinacional, como inovação e tecnologia. Por fim, mas não menos importante, era necessário gerar espaços flexíveis, de modo a garantir uma ocupação planejada em duas etapas: inicialmente, seriam abrigados cerca de 100 funcionários; na segunda fase, as instalações seriam preenchidas com até 240 pessoas.

O ponto de partida foi uma área de 1.763 m2 na movimentada Avenida Sertório, na zona norte da cidade. No local de implantação, havia um edifício de dois andares na parte frontal e um pavilhão de armazenamento nos fundos.

O edifício preexistente tinha estrutura de concreto e fechamento de alvenaria. Já o pavilhão era composto por estrutura de concreto e cobertura metálica. “Como ambas edificações possuíam estrutura e paredes em alvenaria de ótima qualidade, foi decidido mantê-las e destacá-las, diferenciando-as de todas as novas intervenções, que foram pintadas em preto”, explica o arquiteto Lucas Pessatto.

Um mezanino em aço no espaço do galpão amplia a área para estações de trabalho e o conecta ao segundo andar do outro edifício

Entre os volumes existentes, havia algumas construções em alvenaria que foram demolidas, o que viabilizou a criação de uma conexão direta entre as edificações por meio de uma nova construção central.

Esse módulo adicional, inteiramente estruturado em aço, exerce múltiplas funções. Ele abriga novos conjuntos de sanitários necessários para atender ao número de usuários e amplia a área técnica. A nova edificação permitiu, ainda, deslocar a entrada principal do escritório para uma rua lateral, de menor movimento, e criar uma conexão contínua entre o edifício existente e o mezanino recém-erguido, aproveitando o pé-direito generoso do pavilhão. “Uma futura duplicação deste mezanino já foi planejada para tornar possível a ocupação máxima do espaço”, conta Pessatto.

Estrutura mista

O aço foi decisivo para viabilizar o retrofit na capital gaúcha. Ele permitiu, por exemplo, atender ao prazo de 90 dias para a execução das estruturas adicionais. “Esse foi um desafio, ainda mais diante das condições apresentadas. Havia pouca informação sobre a construção original e muitas restrições aos acessos à obra”, comenta a arquiteta Mariana Cótica, diretora da Cótica Engenharia.

O projeto estrutural inicial, elaborado pela Carpeggiani, previa a combinação da estrutura metálica com lajes em painel wall. No entanto, por uma questão de custos, o contratante optou por uma solução mais econômica, com lajes compostas por vigas pré-moldadas de concreto e fechamento de blocos vazados de concreto.

Bastante leve, a estrutura em aço utilizada no projeto gaúcho empregou fundamentalmente conexões soldadas. Tanto o mezanino como o volume central foram fixados à estrutura de concreto por meio de interfaces como chapas de aço, de fácil execução, mas que exigiram um minucioso estudo prévio.

Segundo Pessatto, o ponto mais crítico do cálculo se deu no volume dos banheiros, especialmente porque eles precisavam abrigar dois reservatórios superiores de água. “Toda essa estrutura acrescida à estrutura de concreto exigiu a inserção de vigamento extra”, lembra o arquiteto.

Sobre todo o conjunto da Thyssenkrupp foram instaladas telhas metálicas. Para melhorar o desempenho termoacústico nos escritórios, sobre a ampla área do galpão foram especificadas telhas do tipo sanduíche, sustentadas por vigas e treliças de aço em arco. (J.N.)

Sobre a obra

Projeto arquitetônico: Arquitetura Nacional
Área construída:
1.707,53 m²
Aço empregado:
ASTM A572 GR50
Volume do aço:
23,5 t
Projeto estrutural:
Carpeggiani Projetos Estruturais e Cótica Engenharia
Fornecimento da estrutura de aço:
Imezza
Execução da obra:
Cótica Engenharia
Local:
Porto Alegre, RS
Conclusão da obra:
2016

Todas as Notícias

Confira também

Não é cadastrado?

Faça agora seu cadastro no site do CBCA e tenha acesso a conteúdos exclusivos e inscrições online. O cadastro no site do CBCA é gratuito, simples e rápido.

QUERO ME CADASTRAR

INDIQUE

Obrigado!
Sua indicação de conteúdo foi enviada com sucesso.