Estruturas Mistas de Aço e Concreto

Ver todos os cursos presenciais
Estruturas Mistas de Aço e Concreto

Início: Dias 20, 21, 27 e 28 de agosto.

Inscrições: Até 13/08/2021

Valor: 890.00

Duração do curso: 20 horas.

 

Dias

Dias 20, 21, 27 e 28 de agosto.
 

Horário

Sextas das 18h às 22h e sábados das 9h às 12h e das 13h às 16h.

 

Objetivo

Capacitar os participantes a dimensionar com segurança e ecomomia elementos estruturais mistos de aço e concreto de acordo com a ABNT NBR 8800.

 

Bibliografia Básica

  • Manual do CBCA –Estruturas Mistas – Vol. 1 e 2.

  •  ABNT NBR 8800.

 

Currículo do Professor

Eng. Fernando Ottoboni Pinho

Graduado em Engenharia Civil em 1974 pelo Centro Universitário de Volta Redonda da Fundação Oswaldo Aranha, Pós-graduado em Docência Superior pelo Instituto Isabel em 1984 e Mestre em Tecnologia de Construção de Edifícios pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo – IPT em 2012.

Iniciou suas atividades em 1975 na FEM – Fábrica de Estruturas Metálicas da CSN onde trabalhou até 1998, ocupando as funções desde Chefe de Equipe de Pontes e Edifícios, até Gerente de Engenharia, responsável por mais de 30.000 toneladas de projetos diretos e sob sua supervisão.

De 1998 a 2002, como sócio diretor da METALFRAME, desenvolveu desde a comercialização, projeto, detalhamento, até a fabricação e a montagem de edifícios, galpões e pontes.

De 2002 a 2012, atuou na GERDAU como Engenheiro Consultor do Atendimento Técnico Perfis Estruturais.

Desde 2012, atua como sócio diretor da METALFOP Engenharia, prestando serviços de consultoria técnica, projetos e cursos de extensão e pós-graduação na área das estruturas metálicas.

É Professor Mestre no UniFOA das disciplinas de Ações e segurança das estruturas, Estruturas metálicas e Pontes.

Autor dos livros Edifícios de Múltiplos Andares em Aço da Editora PINI, dos Manuais de Pontes e Viadutos em Vigas Mistas e Viabilidade Econômica e do material para o curso online de Execução de Estruturas de Aço do Centro Brasileiro da Construção em Aço – CBCA.

Em dezembro de 2018, recebeu do CREA-RJ o “Diploma do Mérito da Engenharia 2018”.

Desde 2019 é Professor convidado da UFRJ para a disciplina de Fabricação, Transporte e Montagem das Estruturas de Aço.

 

Devido à situação de pandemia, os cursos acontecerão de forma online, por meio da plataforma Microsoft Teams.

Inscrições abertas até dia 13 de agosto de 2021.

Programa:

O curso é composto de 23 módulos sequenciais, onde serão apresentados os tópicos, fornecidos exemplos e propostos exercícios e temas para discussão em fóruns.

Capítulo 1 – VIGAS DE AÇO DE ALMA NÃO ESBELTA
    1. Estados limites das vigas
    2. Momento fletor resistente de cálculo
    3. Força cortante resistente de cálculo
    4. Deslocamentos máximos e contra flecha
Capítulo 2 - CONECTORES DE CISALHAMENTO

2.1- Aplicação e tipos

2.2- Resistência de cálculo dos conectores

2.3- Disposições construtivas

Capítulo 3 – TIPOS DE LAJES DE CONCRETO E SUA PARTICIPAÇÂO NA SEÇÂO MISTA

3.1- Tipos de lajes

3.2- Largura efetiva da laje

3.3- Lajes com steel-deck

Capítulo 4 – VIGAS MISTAS DE AÇO E CONCRETO

4.1- Tipos de construção – escorada e não escorada

4.2- Tipos de seções

4.3- Momento fletor resistente de cálculo

4.4- Interação total e parcial

4.5- Exemplos

Capítulo 5 – TIPOS DE FÔRMAS DE AÇO

5.1- Introdução

5.2- Tipos de formas de aço

5.3- Formas de aço produzidas no Brasil

Capítulo 6 – APLICABILIDADE E COMPORTAMENTO

6.1- Aplicabilidade

6.2- Comportamento

Capítulo 7 – AÇOS E REVESTIMENTOS DAS FÔRMAS

7.1- Aços utilizados nas formas

7.2- Revestimentos utilizados nas formas

Capítulo 8 – VERIFICAÇÃO DA FÔRMA DE AÇO ANTES DA CURA

8.1- Estados limites últimos

8.2- Estados limites de serviço

Capítulo 9 – VERIFICAÇÃO DA LAJE MISTA APÓS A CURA

9.1-Momento fletor

9.2- Cisalhamento longitudinal

9.3- Cisalhamento vertical

9.4- Punção

9.5- Exemplo

Capítulo 10 – VERIFICAÇÃO PARA CARGAS CONCENTRADAS

10.1- Distribuição

10.2- Largura efetiva

10.3- Armadura de distribuição

Capítulo 11 - ESTADOS LIMITES DE UTILIZAÇÃO

11.1- Fissuração do concreto

11.2- Deslocamento vertical

Capítulo 12 – DISPOSIÇÕES CONSTRUTIVAS

12.1- Espessura mínima de concreto sobre a forma

12.2- Dimensão máxima do agregado graúdo

12.3- Comprimento mínimo de apoio

Capítulo 13 - ENSAIOS

13.1- Notas gerais e arranjo dos ensaios

13.2- Preparação dos espécimes

13.3- Procedimentos para os ensaios

13.4- Determinação dos fatores m e k

Capítulo 14 – UTILIZAÇÃO DE TABELAS

14.1- Vãos máximos sem escoramento e cargas sobrepostas máximas

Capítulo 15 – TIPOS DE PILARES MISTOS

15.1- Introdução

15.2- Tipos de pilares mistos

15.3- Exemplos de pilares mistos

Capítulo 16 – LIMITES DE APLICABILIDADE

16.1- Hipóteses básicas

16.2- Limites de aplicabilidade

1.3- Flambagem local dos elementos de aço

Capítulo 17 - ELEMENTOS COMPRIMIDOS DE AÇO

17.1- Força axila de compressão resistente de cálculo

17.2- Coeficiente de flambagem de elementos isolados

17.3- Contenções de barras comprimidas

17.4- Flambagem local de barras comprimidas

17.5- Exemplos

Capítulo 18 – ESTABILIDADE E ANÁLISE ESTRUTURAL

18.1- Tipos de análise estrutural

18.2- Método da análise direta

18.3- Sensibilidade a deslocamentos laterais

18.4- Métodos aproximados de amplificação dos esforços

18.5- Método simplificado

Capítulo 19 – ELEMENTOS FLETIDOS COMPRIMIDOS DE AÇO

19.1- Ação simultânea de força axial e momentos fletor

19.2- Exemplo

Capítulo 20 – CISALHAMENTO ENTRE O AÇO E O CONCRETO

20.1- Regiões de introdução de cargas

20.2- Trechos entre regiões de introdução de cargas

20.3- Forças de atrito adicionais devidas aos conectores

Capítulo 21 – PILAR MISTO SUJEITO Á COMPRESSÃO AXIAL

21.1- Força axial resistente de cálculo

21.2- Exemplo

Capítulo 22 – PILAR MISTO SUJEITO Á FLEXO-COMPRESSÃO

22.1- Generalidades

22.2- Modelos de cálculo I e II

22.3- Momentos fletores de plastificação de cálculo

22.4- Exemplo

Capítulo 23 – TABELAS DE RESISTÊNCIA DE PILARES MISTOS

23.1- Premissas adotadas nas tabelas

23.2- Pilar totalmente revestido

23.3- Pilar parcialmente revestido

23.4- Pilar preenchido quadrado e circular

Ao navegar no site você estará concordando com a nossa política de privacidade.

Ok
Fechar modal