Atenção

Fechar

CBCA

Referência Local

02/01/2019 | Notícia | Revista Arquitetura & Aço - Edição 52
Referência Local

Construção que abriga escritório de arquitetura foi idealizada a partir de quatro contêineres em aço, conectados por perfis metálicos

A degradação urbana frequentemente observada em regiões portuárias do país representa um grande desafio para arquitetos e urbanistas. Muitos projetos nessas áreas buscam a revitalização arquitetônica pelo resgate das construções originais; outros, pela implantação da estética contemporânea. Já o arquiteto Rodrigo Kirck buscou inspiração em um dos elementos plásticos mais característicos dos portos – os contêineres – para criar, em 2016, a sede do seu escritório. O projeto foi eleito a melhor obra da categoria Arquitetura Pré-Fabricada no 5th Architizer A+Awards no ano seguinte.

Referência Local

Apelidado de “Container”, o projeto procurou atingir uma série de objetivos: apresentar um modelo conceitual, interagir com as questões da sustentabilidade, propor uma construção modular industrializada e possibilitar um resultado estético de impacto e com forte expressão. “O projeto tem como base conceitual o resgate da simbologia que o módulo contêiner representa para a cidade, que tem toda a sua economia e história estruturada pelo seu rio principal e pelo porto de cargas. O uso de módulos contêineres incorporou um resgate afetivo na discussão da importância ‘do que se vivencia’ dentro desses espaços”, afirma o arquiteto.

A construção utilizou quatro unidades de contêineres reciclados de aço de alta resistência à corrosão para compor sua modulação, conectados por perfis tubulares em aço e, também, perfis laminados. São dois volumes paralelos, cada um com dois contêineres sobrepostos, ligados por um sistema de abertura zenital, que “afasta” os volumes, abriga as circulações verticais e reduz o uso de iluminação artificial.

A equipe de Rodrigo Kirck respondeu por todas as etapas do projeto: do desenho arquitetônico, passando pelos cálculos estruturais e projetos executivos até a execução da obra. Em todas elas, o viés da sustentabilidade figurou como meta. “Buscamos desenvolver um projeto modular, ecológico e pré-fabricado, com zero de desperdício na fase construtiva”, afirma. Após o dimensionamento, os perfis foram encomendados à empresa que forneceu as estruturas em aço, muitas delas cortadas a laser. As instalações foram feitas in loco por mão de obra especializada, com nivelamentos em três dimensões e soldas de alto desempenho.

O principal desafio do projeto, segundo o arquiteto, foi de ordem dimensional, dada a modulação em contêineres. “Ficamos limitados ao uso de espaços com larguras inferiores a 2,4 m, o que restringe as opções para o layout interno”. A montagem também exigiu atenção especial, com a instalação de algumas estruturas não convencionais, como uma escada pendurada no vão entre os contêineres.

Referência Local

O espaço do escritório foi concebido com dois pavimentos: o térreo abriga sala de reuniões, lavabos, biblioteca, sala técnica, copa e varanda externa; o superior foi destinado à sala de produção, em sistema open plan, sobre a qual foi instalado um terraço jardim. “Inicialmente, teríamos um terraço jardim sobre os contêineres, com uso de forração gramínea simples. Porém, durante a obra, percebemos que estávamos circundados por diversas edificações de grande altura, que nos olhavam diariamente de cima, o que nos levou a projetar um jardim mais complexo, com sistema de iluminação noturna, para ser mais agradável e fomentar a qualidade dos espaços nos nossos vizinhos”, comenta o arquiteto. Os “telhados-jardins” cumprem, ainda, as funções de reduzir o impacto da radiação solar, captar a água da chuva para reuso e servir de reservatório de águas pluviais, diminuindo o impacto no sistema de coleta pública.

“Vejo o ‘Container’ como um laboratório. Um espaço repleto de significados, em que foram divididas memórias com uma equipe de arquitetos e somadas experiências com outros profissionais de criação em design, fotografia e arte, em um processo de coworking. O resultado é uma verdadeira multiplicação de inspirações”, analisa o arquiteto. (A.L.)

Referência Local

Sobre a obra

Projeto arquitetônico: Rodrigo Kirck Arquitetura
Área construída: 135 m²
Aço empregado: aço de alta resistência à corrosão e perfis estruturais ASTM A36 (ABNT NBR 7007 MR 250); perfis em barras chatas e tubulares retangulares
Volume do aço: 16 t
Projeto estrutural: Rodrigo Kirck Arquitetura
Fornecimento da estrutura de aço: Megaço
Execução da obra: Rodrigo Kirck Arquitetura
Local: Itajaí, SC
Conclusão da obra: 2016 

Todas as Notícias

Confira também

Não é cadastrado?

Faça agora seu cadastro no site do CBCA e tenha acesso a conteúdos exclusivos e inscrições online. O cadastro no site do CBCA é gratuito, simples e rápido.

QUERO ME CADASTRAR

INDIQUE

Obrigado!
Sua indicação de conteúdo foi enviada com sucesso.