Atenção

Fechar

CBCA

Vocação Evidente

21/11/2018 | Notícia | Revista Arquitetura & Aço - Edição 52

Visão geral do conjunto que conta com fachadas em chapas de aço patinável. Abaixo, detalhe da estrutura. O partido arquitetônico usou de contraventamento da estrutura como um forte elemento visual na fachada

Um bom projeto arquitetônico deve ser naturalmente inspirador. E quando idealizado para abrigar um escritório de arquitetura e outros dois especializados em projetos estruturais deve ser ainda mais. No edifício OXI, em Curitiba (PR), a premissa fica evidente. No prédio, concebido pelo arquiteto Luiz Volpato, os elementos estruturais contribuem para a criação de uma identidade marcante que reflete o DNA das empresas em seu interior.

Na obra, dois blocos idênticos e paralelos, implantados respeitando a característica longilínea do terreno, dão o tom da construção, que conta com estrutura em aço, lajes em concreto e vedações em chapas de aço e vidro. Tanto os materiais empregados como o layout do edifício, com vãos em exposição, foram importantes para assegurar a permeabilidade visual sem deixar de lado o conforto térmico. “Os vãos permitem uma compreensão clara do corpo do edifício, contribuindo para uma obra atemporal”, diz Volpato.

Leveza estrutural

Para obter uma estrutura leve e que viabilizasse a criação de grandes vãos, o projeto foi idealizado com pilares e vigas em aço com dimensões variáveis, predominando o uso de perfis  de 200 x 200 mm nos pilares e de 200 x 150 mm nas vigas. “Usamos perfis laminados  parafusados para pilares e vigas. Os fechamentos laterais foram feitos com chapas de aço patinável”, destaca o arquiteto. 

As lajes de cada pavimento, simulando borda infinita, foram fechadas com vidro laminado 8 + 8 mm do piso ao teto, permitindo o diálogo dos ambientes internos com o exterior.

A estrutura da cobertura também é em aço; porém, a laje foi executada em concreto pré-moldado com capa de solidarização de 7 cm. Os brises frontais foram executados com barras de aço do tipo vergalhão em seis camadas, amarradas com arame recozido entre si e finalizadas com perfis cartola nas bordas.  A definição pelo uso do aço no projeto foi decorrência – além das características do material – de uma preferência pessoal do  autor pelo resultado estético que o material confere ao produto acabado.

Escolha sustentável

A atenção com a sustentabilidade pautou diversos aspectos do projeto, a começar pela escolha de materiais que dispensam o uso de acabamentos, como o aço, o concreto lapidado, a madeira de demolição e o vidro. “Não usamos tintas e também nos preocupamos com o  consumo de energia. Criamos ambientes que dispensam luz artificial durante o dia, usamos brises para minimizar o uso de ar-condicionado e, ainda, lançamos mão de sistemas de aproveitamento de água e contenção de cheias.”

Essas estratégias combinadas foram essenciais  para, na visão do arquiteto, ajudar a reduzir as exigências de processos de manutenção no edifício, colaborando para ampliar sua resistência à ação do tempo. (G.C.).

Sobre a obra

Projeto arquitetônico: Luiz Volpato Arquitetura
Área construída: 2.341 m²
Aço empregado: perfis laminados ASTM A572 GR50 (ABNT NBR 7007 AR 345); perfis laminados ASTM A36 (ABNT NBR 7007 MR 250) Volume de aço: 160 t
Projeto estrutural: Andrade Rezende Engenharia de Projetos
Fornecimento da estrutura: Perfilados Pinhais
Execução da obra: PJ Engenharia
Local: Curitiba, PR
Conclusão da obra: 2011

Todas as Notícias

Confira também

Não é cadastrado?

Faça agora seu cadastro no site do CBCA e tenha acesso a conteúdos exclusivos e inscrições online. O cadastro no site do CBCA é gratuito, simples e rápido.

QUERO ME CADASTRAR

INDIQUE

Obrigado!
Sua indicação de conteúdo foi enviada com sucesso.