Atenção

Fechar

Solução Aprovada

17/08/2017 | Notícia | Revista Arquitetura & Aço - Edição 49 – Junho de 2017

Edifício é contruído em apenas dez meses e motiva instituição a adotar o aço para erguer mais 11 unidades

ATÉ ENTÃO INÉDITA nas unidades do Grupo Ser Educacional, instituição de ensino com forte presença nas regiões Norte e Nordeste do país, a construção em aço se mostrou peça-chave para a concepção do Centro Universitário Maurício de Nassau, conhecido como Uninassau, em João Pessoa, na Paraíba. O uso desse sistema construtivo colaborou não só para viabilizar a instalação da universidade em uma área urbana de tráfego intenso, como também atendeu às premissas do projeto, de cronograma exíguo, conferindo um programa extenso em uma área de pequenas dimensões.

Com um design simples, o prédio de 13 pavimentos foi erguido em apenas dez meses a partir de estruturas metálicas. Na construção, vigas e pilares em aço ficam aparentes no bloco único, que abriga as atividades acadêmicas, administrativas e estacionamento. Lajes steel deck, rampas de acesso e caixas de elevadores também foram executadas no sistema metálico.

O uso da estrutura em aço é valorizado nas fachadas, para as quais o projeto aproveitou os elementos estruturais aparentes para definir a identidade do edifício.

Segundo Arinêe Shamá Fulco Santos, arquiteta e coordenadora do departamento de Engenharia e Arquitetura do Grupo Ser Educacional, a solução estrutural em aço foi fundamental para atender ao programa da obra. “Precisávamos inserir um prédio de 13 pavimentos, sendo quatro deles destinados ao estacionamento, em um terreno de dimensões mínimas, com 4 mil m2 apenas. As estruturas metálicas tornaram esse feito possível”, explica.

O resultado, aliás, acabou sendo tão satisfatório que a coordenação do grupo educacional optou por replicar a experiência em outros 11 edifícios da instituição. O mais recente deles, com estrutura totalmente em aço, já está em execução em Fortaleza, no Ceará, e deve ser finalizado ainda no segundo semestre deste ano.

A estrutura em aço utilizada no edifício possibilitou a execução de vãos maiores entre os pilares, bem como a redução da altura das vigas em até 30%, se comparada a uma estrutura de concreto convencional

Leveza e velocidade

A obra do Centro Universitário Maurício de Nassau de João Pessoa consumiu 1,5 mil toneladas de aço. De acordo com Alexandre Carlos Ramos de Lira, diretor presidente da Vão Livre Estruturas Metálicas, empresa responsável pela fabricação e montagem das peças metálicas, o sistema utilizado possibilitou a execução de vãos maiores entre os pilares, de 8 m a 10 m, bem como a redução da altura das vigas em até 30%, se comparada a uma estrutura de concreto convencional.

Com o aço foi possível, ainda, manter o canteiro limpo e agilizar a execução da estrutura, que foi entregue em apenas dez meses – recorde para o grupo de ensino. “As etapas de projeto, detalhamento e fabricação das peças consumiram quatro meses, já a montagem de toda estrutura, iniciada após a liberação das fundações, foi feita em seis meses. Enquanto a construtora dava andamento às obras das fundações, a estrutura metálica era fabricada em nosso parque fabril”, relembra Lira.

Logística otimizada

Por conta da localização da obra e das dimensões do terreno e do prédio, a logística de entrega precisou ser muito bem planejada para evitar a falta ou o excesso de material.

Durante a etapa de montagem, o canteiro foi abastecido diariamente com as peças metálicas que seriam montadas no mesmo dia, seguindo à risca o cronograma de execução. “Isso eliminou a necessidade de armazenagem no canteiro, algo impossível em função do espaço disponível no local”, explica Lira.

As peças chegaram à obra finalizadas e prontas para a montagem, com os serviços de solda, limpeza e pintura com tinta epóxi realizados e supervisionados dentro do parque fabril. Com dimensões máximas de 16 m, elas foram transportadas em carretas e içadas e posicionadas na estrutura do edifício com o auxílio de plataformas de elevação, caminhões munck, guindastes e gruas.

As lajes steel deck, fixadas nas vigas de aço com conectores de cisalhamento do tipo stud bolts, também conferiram agilidade e racionalização ao processo de montagem da estrutura. Ao todo, foram executadas 12 lajes nesse sistema, que conta com fôrmas de aço que atuam também como armadura positiva ao mesmo tempo, dispensando o uso de escoramento e reduzindo o peso da estrutura. (G.C.)

  • Projeto arquitetônico: Grupo Ser Educacional
  • Área construída: 31 mil m²
  • Aço empregado: perfis laminados de aço ASTM GR50 e chapas ASTM A36
  • Volume de aço: 1,5 mil t
  • Projeto estrutural: Engedata Engenharia Estrutural
  • Fornecimento da estrutura de aço: Vão Livre Estruturas Metálicas
  • Execução da obra: BMC Construções Metálicas
  • Local: João Pessoa, PB
  • Conclusão da obra: 2012

Por Gisele Cichinelli

Fotos: Divulgação

 

Todas as Notícias

Confira também

Não é cadastrado?

Faça agora seu cadastro no site do CBCA e tenha acesso a conteúdos exclusivos e inscrições online. O cadastro no site do CBCA é gratuito, simples e rápido.

QUERO ME CADASTRAR

INDIQUE

Obrigado!
Sua indicação de conteúdo foi enviada com sucesso.