Atenção

Fechar

CBCA

Orla renovada

05/12/2018 | Notícia | Revista Arquitetura & Aço - Edição 52
Orla renovada

O restaurante panorâmico, inicialmente batizado por Jaime Lerner como “Quase Meia Noite”, tem estrutura radial em aço, com 12 vigas metálicas que lembram um relógio. O piso em vidro possibilita a visão das águas do Rio Guaíba

Um conjunto de intervenções arquitetônicas e urbanísticas transformou a orla do Rio Guaíba, na região central de Porto Alegre (RS), em um dos pontos de lazer e turismo mais importantes da cidade. Mirando na durabilidade e na baixa necessidade de manutenção, os arquitetos responsáveis privilegiaram o uso de materiais sem revestimento, dando ao aço um papel especial no projeto do novo parque urbano.

A intervenção foi feita em uma área de 56,7 ha, ao longo de 1,5 km da margem do Guaíba. Além da recomposição ambiental e paisagística, a intervenção incluiu equipamentos como passarelas, um ancoradouro, áreas esportivas, cafés, bares e sanitários.

“Queríamos que a obra fosse discreta e que os ângulos e paisagens, conforme se caminha, não fossem molestados. Ela não é protagonista, o protagonista é a paisagem”, define Fernando Canalli, coordenador de projetos e acompanhamento de obras do escritório Jaime Lerner Arquitetos Associados.

Orla renovada

Os postes de iluminação receberam uma inclinação para ampliar o alcance da luminosidade. Foram instalados 46 postes em aço, trazendo um belo resultado estético ao conjunto

Como explica Canalli, os quatro materiais empregados nos equipamentos – aço, concreto, madeira e vidro – não tiveram nenhum tipo de revestimento ou pintura, de forma que será muito menor a necessidade de manutenções periódicas. “O aço tem elevadíssima resistência à corrosão, mas para adquirir ainda mais longevidade foi galvanizado a fogo. Nos elementos aparentes, tiramos partido das propriedades e da estética do aço patinado”, acrescenta Jeferson Andrade, projetista de estruturas metálicas.

De acordo com Andrade, a própria natureza dos equipamentos e estruturas instaladas conduziu à escolha do aço. “As passarelas metálicas, que avançam rio adentro, deveriam ser esbeltas e ter transparência, de forma que optamos pelo piso grade. Essa leveza é natural das estruturas metálicas”, avalia.

A versatilidade do aço e a rapidez e simplicidade no processo construtivo que ele possibilita, aponta o arquiteto Canalli, também contribuíram para que fosse adotado no projeto. “Toda a estrutura metálica foi fabricada na indústria, com precisão rigorosa nas furações e comprimentos. A maioria das vigas foi parafusada, ocorrendo pouquíssimas soldagens”, recorda.

As estruturas metálicas também aparecem no deque do ancoradouro de embarcações. Estruturado com tubulões de concreto aparente e vigamento de aço, ele foi recoberto com madeira de alta resistência. Os bancos distribuídos por todo o parque seguiram a mesma combinação: estrutura em aço e cobertura com pranchas de madeira. O aço ainda tem presença importante nos 46 postes metálicos que fazem a iluminação da orla. Com luz de LED, os postes são inclinados para permitir maior alcance da luminosidade.

O projeto incluiu, ainda, um restaurante “flutuante”, batizado de Quase Meia Noite por Jaime Lerner – e que recebeu do operador o nome comercial de Orla 360. “Um núcleo de concreto suporta a estrutura radial de aço, com 12 vigas, em alusão a um relógio. O piso de vidro permite a visualização das águas do Guaíba. Os fechamentos laterais são igualmente em painéis de vidro”, descreve Andrade.

Para o projetista, a intervenção foi uma oportunidade de trabalhar com estruturas em aço em um contexto pouco usual. “Ao contrário das estruturas com que trabalhamos tradicionalmente, como um edifício, um galpão ou uma fábrica, este foi um projeto com magnitude e impacto para uma sociedade inteira”, avalia.

O parque, inaugurado em agosto de 2018, abriu novas perspectivas para a visualização de edificações do patrimônio histórico porto-alegrense, como o Gasômetro. “Foram anos de trabalho para entregar uma obra com qualidade para a população, em todos os aspectos. Temos o desejo de que, daqui a 50 anos, possamos voltar lá e constatar que tudo está do mesmo jeito”, conclui Canalli. (E.C.L.)

Orla renovada

Sobre a obra

Projeto arquitetônico: Jaime Lerner Arquitetos Associados
Área construída: 56,7 ha
Aço empregado: perfis laminados ASTM A572 GR50 (ABNT NBR 7007 AR 345); ASTM A36 (ABNT NBR 7007 MR 250) e ASTM A588 (ABNT NBR 7007 AR 350COR)
Volume de aço: 840 t
Projeto estrutural: Andrade Rezende Engenharia de Estruturas
Fornecimento da estrutura de aço: SH Estruturas Metálicas
Execução da obra: Consórcio Orla Mais Alegre – Procon Construções e Sadenco Sul Americana
Local: Porto Alegre, RS
Conclusão da obra: 2018 

Todas as Notícias

Confira também

Não é cadastrado?

Faça agora seu cadastro no site do CBCA e tenha acesso a conteúdos exclusivos e inscrições online. O cadastro no site do CBCA é gratuito, simples e rápido.

QUERO ME CADASTRAR

INDIQUE

Obrigado!
Sua indicação de conteúdo foi enviada com sucesso.